Tânia: atriz, leal, questionadora, sincera, irônica, exigente, fácil, radical, sensível, dura, intensa, controladora, generosa, egoísta, protetora, desapegada, aberta, ermitã, sensata e aventureira. "Sou todas em Uma" BEM VINDOS!


13 de jan de 2011

FÉRIAS

No dia 26 de dezembro, me mandei pra praia como alguns milhares de brasileiros. Eu disse “milhares”?... hahaha...Milhões! Enfim: abandonei (até o blog!) e me dei 15 dias de férias! Fui óbvia e previsível: tudo o que eu queria era sair: da minha sala, das mesmas paredes, enfim; do meu mundo. Mudar de pele, sair da rotina, esquecer o relógio... As sonhadas férias! NÃO cozinhar, nada de super nem de fazer cama e pegar a correspondência na caixa de correio. Adeus salto alto, maquiagem e agenda! Praia, liberdade, vagabundagem e sol. Ao entrar no carro, depois de deixar as contas pagas com antecedência, carregar a bagagem, verificar azeite, calibrar, freios, gritei: “uhuuuu, vou de férias: LIBERDADE”!...Peguei a freeway... Fila. Quatro horas pra 200 quilômetros... Dá nada, vale a pena, já vou ouvindo música! Sintonizei no “NO STRESS”. Fui (óbvia como milhões de brasileiros) e aluguei uma casa na praia com outras pessoas... No dia da chegada, fazer super, organizar as cevas na geladeira e verificar a famosa vistoria da casa: na saída todos os objetos têm que estar ali e nas mesmas condições da chegada. Logo no primeiro dia, quebrei o objeto mais horroroso que já vi em toda a minha vida. Um centro de mesa ou algo “parecido”, com esquilo, flores irreais - a natureza jamais produziria algo tão espantoso! – e uma base que se parece com... NÃO SEI. Enfim, tive que me sentar algumas horas colando o tal “enfeite”. Depois botei a coisa num canto onde não corresse perigo de que alguém mais esbarrasse na tal maravilha. Choveu. Segundo, terceiro e quarto dias... COMIDA DE FÉRIAS... Pensa que é fácil pensar em cardápio que agrade a várias pessoas?! Tudo o que eu queria era sanduiches e caipirinha. Me vi limpando alface, comendo massa, botando mesa e varrendo.... O tempo? Nubladão... Não estava bom pra praia, mas mesmo assim fui lá caminhar. Quem quer jogar canastra? A areia dos pés antes de deitar? Delícia! Quarto dia... SOL! Vamos pra paia! Gosto de ir leve e solta; nada de cadeiras ou guarda-sol. Bom é ficar horas olhando as pessoas, curtindo as ondas, adorando a espuma e brincando na água feito criança. Esqueçi o filtro solar... Saudei todos os santos! Pensei em meus amigos, minha família, enfim: meus afetos. Orei por todos e agradeci muito pelo ano que começou pesadão e foi melhorando até ficar bom: obrigada, Papai do céu! Agradeço até a pele que dói quando encosta no lençol!!! REVEILLON Porco assado, arroz (à grega, claro) saladas, peixe, e muita ceva gelada. Ôps... A merda da geladeira ÓBVIO não gela direito. Eletrodomésticos que vão pra praia são o refugo, mesmo que a diária da casa custe uma martelada. Mas tudo é alegria! Gente reunida, risadas, todo mundo de branco que afinal, o que mais queremos é PAZ... A TV é 21 polegas. Das antigas, claro, com aquela bunda enorme, e (óbvio) que só pega 2 canais. Estamos de férias: quem quer TV?! Sempre tem alguém estressado porque alguém se esqueceu alguma coisa, óbvio... Bobagem! É só ir no mercadinho, comprar o que faltou e a gente ainda nem se importa com a fila de 45 minutos pra pagar; são apenas 23 horas. No dia seguinte, se lava aquele mundo de louça e a toalha branca da casa onde alguém derrubou vinho tinto e se agradece porque derramar vinho traz sorte! Tem que varrer bem a casa, que tem areia por tudo que é fresta. Os (óbvios) fogos de artifício foram um show à parte! Este ano decidi não fazer promessas de ano novo. Apenas fiquei lá curtindo e bebendo champagne: o melhor que meu dinheiro pôde pagar, direto do gargalo da garrafa. Ao ver a cara de meus filhos e neto neste momento, penso no clichê “certas coisas não têm preço”. Dia 2 de janeiro, os homens voltam pra cidade. Ficamos só as mulheres e o trabalho diminui em mais ou menos 90%... Tô mal de matemática ou da cabeça?! E tivemos 2 dias seguidos de sol...te mete! O mar está gostoso, as pessoas são lindas, sorridentes e queridas. Os simpáticos vendedores de redes, biquínis, casquinhas, caipirinhas, bonés, óculos de sol, sorvete, jornal, mantas de inverno, bolas, horrorosas pipas em forma de morcego e pastel não nos deixam faltar nada. Porquê estes caras não vendem protetor solar na praia?! Vai descascar que eu sei...

Um comentário:

Olá!
Por favor sinta-se livre para comentar!