Tânia: atriz, leal, questionadora, sincera, irônica, exigente, fácil, radical, sensível, dura, intensa, controladora, generosa, egoísta, protetora, desapegada, aberta, ermitã, sensata e aventureira. "Sou todas em Uma" BEM VINDOS!


MINHA VIDA...

                        Nome: TÂNIA NUNES CAVALHEIRO


Nascimento: 23 março 1954.
Porto Alegre – RS – Brasil.


Onde: na calçada do Hospital Beneficência Portuguesa.


Pais: LUIZ CAVALHEIRO e ORMANDINA NUNES CAVALHEIRO.
A mais nova de cinco irmãos.


1956 - O pai, Luiz, faleceu quando esta tinha 1 ano e 4 meses.
O irmão, mais velho dos cinco, já havia casado.
A mãe, Ormandina, “DINA” para os íntimos, criou as 4 filhas com bravura, dificuldade, trabalho e muita rigidez!
Criança, teve todas as doenças possíveis: coqueluche, catapora, otites, inflamação de amígdalas, inapetência, etc... Filha problema!


1961 - Com 7 anos de idade, foi morar em Montevideo (Uruguai) com a mãe, a irmã Lady, o marido desta, Manoel de Roma Leão.
A partir daí, até os 16 anos de idade, dividiu sua vida entre Rio de Janeiro, Montevideo, e, eventualmente, Porto Alegre.


Em um mesmo ano, cursou três colégios diferentes, em três cidades diferentes!
O aprendizado do espanhol foi fácil e necessariamente rápido, já que sempre foi vítima de bullyng por ser, (onde quer que estivesse) "a estrangeira”.
Muito magrela, cabeluda e olhuda.


1962 – Aos 8 anos, viaja sozinha pela primeira vez, de ônibus, de Porto Alegre para Montevideo.


1964 - Foi expulsa do Colégio Sagrado Coração de Jesus por questionar “como Deus poderia estar em todos os lugares” e por dizer que não acreditava na cegonha.


1965 - Conhece e convive bastante com Leonel Brizola e sua esposa, amigos da família.


1966 – Voa sozinha para Portugal, onde foi passar férias com a irmã que lá morava. Apaixona-se pelo país e fica morando lá, onde estudou no English Scholl, em Carcavelos.


Na escola, participou de montagens teatrais, auxiliando na produção, nos figurinos e na trilha sonora, na direção e atuando em várias peças.


Escolhida líder e oradora de turma, sempre foi péssima em esportes!


Viaja, conhecendo bastante da Europa.


1967 – Rio de Janeiro. Nesta cidade, conviveu muito com o cunhado Flavio Prado Uchoa, um de seus mentores e grande amigo. Este apresentou-lhe as ostras, o Iate Clube,
o champagne e o respeito pela liberdade de pensamento.


1968 - Cai de amores pela arte ao conhecer o Museu Louvre, onde passa cinco dias dos 10 que estaria em Paris.

1969 - Apaixona-se pela escultura clássica.
Artistas preferidos:  Michelangelo e Bernini, quem “descobriu” ao ver Fontana di Trevi, em Roma.
Ao visitar o Vaticano, deita-se no chão da Capela Sistina, onde fica três horas em contemplação.

1969 - Descobre o Museu do Prado. O quadro "Meninas" de Velazquez a hipnotiza.

Época de muita arte, galerias de arte, teatros, grupos filosóficos e intelectualóides...
Assiste filmes nouvelle vague dizendo adorar: mentira. Era moda apenas.

Assume-se hippie...Totalmente fajuta; era virgem e não usava drogas.

Começa sua carreira de modelo da alta costura, desfilando com exclusividade para Carmem.

Dezembro 1970 – Viajando, conheceu um argentino e nesta data vai para Argentina, onde casa-se e fica morando com seu marido por 2 anos.

1971 – julho; perde gravidez de gêmeos.

1972 – 23 de março: seu aniversário de 18 anos foi comemorado com cirurgia de apendicite.

Fevereiro 1973 – Grávida de cinco meses, decide separar-se.
Pega sua maleta de mão, e volta para sua casa em Portugal.

22 de junho de 1973 - Nasce em Lisboa seu primeiro filho, Alexandre, às 18 horas, de parto natural.
Foi uma gravidez tranqüila, na qual andou de bicicleta até os 7 meses de “barrigão”.
Para ele, fez seu único poema.

"ALE"
O melhor poema que fiz na vida,
foste tu, filho amado.
Para conceber-te tive pureza de menina
minha ânsia de mãe e
força de leoa para defender-te".

Depois "disto", decidiu que sua arte jamais seria poesia.

1973 - Conclui o curso de Secretária Executiva.

Viajando, conhece Onassis, quem lhe ensinou a fazer ovos fritos.
No Maxim’s, em Paris, jantou na mesa ao lado de Sean Connery, ao qual não pediu autógrafo, pelo que se arrepende até hoje.

Boa parte da Europa é percorrida de moto.

Portugal estava em guerra pelas colônias africanas Moçambique, Guiné-Bissau e Angola
Tânia entra para o PCP (Partido Comunista Português). Gás lacrimogênio e algumas cassetadas não a impediram de participar de manifestações políticas.

25 de abril de 1974 - Participa da Revolução dos Cravos, (a flor nacional) o movimento que derrubou o regime ditador de Salazar em Portugal, devolvendo ao país liberdades democracia e trazendo enormes transformações ao país.
A senha para o movimento foi a música (proibida pela censura) “Grândula Vila Morena”.

O resultado da revolução foi imprevisto: muitos refugiados que nada tinham - além da roupa do corpo - das ex-colônias foram trazidos para Portugal e os mesmos ocuparam hotéis, pousadas e até casas particulares.
Tânia impediu a tiros sua casa de ser invadida, mas teve seu carro totalmente destruído.

Planeja ir embora, pois a vida neste país já estava difícil.

1975 – Faz o caminho de Santiago.

1976 – Retorna para Montevideo. Nesta viagem, no navio italiano Augustus, roubam um de seus baús, contendo bens pessoais e os álbuns de fotos, contendo toda sua trajetória até então.
Vão-se os anéis e ficam os dedos”!... E as lembranças; é o que importa.

Logo faz contatos e segue exercendo sua profissão. Desta vez, desfila com exclusividade para Walter Otegui. Logo faz amigos do meio da moda e do mundo artístico local.




1979 – Conhece o uruguaio Jorge Nebel, pai de seu segundo filho.


11/11/1981- Nasce o filho Marcelo, às 12;30 horas, no Hospital Impasa, depois de uma gravidez desejada, mas na qual teve que fazer 7 meses de repouso para um final feliz.

1982 – Falecimento do cunhado português Manoel de Roma Leão, pessoa de extrema importância em sua vida, já que assumiu o papel de “pai” quando Tânia tinha 7 anos.

1983 – Retorna para Porto Alegre, (onde não pretende morar) por negócios familiares.

1987 – Separa-se de Jorge, ficando muito amigos. Financeiramente, tinham NADA.

Permanece em Porto Alegre, ainda sem muitos contatos.
Conseguiu trabalho na Golden Cross, onde, depois de 30 dias, torna-se supervisora.
Na primeira semana, conseguiu fazer plantão na Ajuris, onde, por seis meses associou vários juízes.

MAS TÂNIA JÁ IA EMBORA DO BRASIL QUANDO...Agosto de 1987 – Conhece Osvaldo da Costa Leite, (médico) sua alma gêmea.
Depois de um ano de namoro vão morar juntos e permanecem unidos por felizes 23 anos.

Um de seus clientes (encantado com seu espanhol) ofereceu-lhe trabalho em sua empresa, Frioexport, onde trabalhou por um ano como Secretária Executiva.

1988 – Descobre a Numerologia!
Deixa a empresa e dedica-se exclusivamente a estudar.
Encantada com o que a Numerologia lhe revelou, compra todos os livros que encontra,
torna-se autodidata e logo faz uma boa clientela.

Sua irmã, viúva de Manoel e o ex-cunhado Jorge, eram sócios e grandes amigos.
Tânia descobre que seriam um casal perfeito e “faz a união”, sendo madrinha.
Assim, conseguiu manter o “ex” na família, já que este é uma pessoa admirável e ainda hoje, seu melhor amigo.
De tia e madinha, passa a ser “madrasta”; mãe perfeita que assume a criação de Marcelo.
Lady e Jorge estão felizmente casados até hoje!

A família de Tânia é muito, muito unida.
Sua melhor criação: ALEXANDRE e MARCELO, filhos maravilhosos!

1990 – Ministra cursos e palestras de numerologia na Espanha.

1995 – Osvaldo passa por cirurgia de seis pontes safena. Tânia dedica-se integralmente a cuidá-lo por alguns meses.

1996 / 1997 – Fez oficinas de interpretação teatral com o ator e diretor Zé Adão Barbosa, (de quem se torna grande amiga) e apresenta 3 peças teatrais:

- BAR DO ZÉ
- O DESPERTAR DA PRIMAVERA
- A ESPERA

                    Na foto: Tânia e Ana Paula Valdez, em: "O Bar do Zé", de Zé Adão Barbosa.

1997 – Por sua interpretação em, “A Espera”, foi convidada e fazer parte – profissionalmente - do elenco da peça “Um Amigo na Loucura”, com direção de Norma Duarte, de quem é grande amiga até hoje.
Teve liberdade total para criar seu personagem,
A Mendiga”, que deixou boas recordações!


Janeiro 1998 - Abandona os projetos pessoais, pois sua mãe está muito doente. Tânia acaba fundando uma clínica geriátrica; “DEDICAR”, já que sua afinidade com idosos é enorme.

Atendia apenas idosos terminais, vegetativos, dependentes. Vítimas de A.I.D.S., com sequelas de A.V.C., pessoas com sondas, Alzheimer... São funcionários 14 funcionários para 14 pacientes.

Tânia desenvolveu uma grande ligação com os pacientes e suas famílias. O horário de visita era absolutamente livre. Familiares acesso a todas as dependências, podendo fazer ali as refeições e até dormir se o familiar internado estivesse muito mal... Ali aprendeu muito a respeito de cuidados e tratamentos médicos.

Agosto 1999 – Falece a mãe, Dina.
Foi cremada, como era sua vontade.

2000 – Crise de depressão.

2003 - Lança seu livro: "NUMEROLOGIA PRÁTICA PARA A VIDA MODERNA",
pela Editora Alcance.

De 2000 até 2007 cuida de alguns familiares que passaram por sérios problemas de saúde e algumas cirurgias.

2008 – Viaja para Itália e França, revendo seus lugares preferidos, e vários alguns museus. (Re)descobre que sua cidade preferida é Firenze, pela arte exuberante.

2010 - 7 de fevereiro; grave acidente de carro, o qual deu perda total.
Tânia apenas fraturou a clavícula, passando 45 dias de tipóia.
Repensa sua vida e decide mudar várias coisas.

Poucos dias depois, vítima de Alzheimer, falece seu cunhado José Penelas, um grande amigo.

Aluga um antigo armazém e monta um teatro de bolso, com capacidade para;
30 pessoas... Nasce "SANTTAARTE", no bairro Cristo Redentor!

2010 – Março...Assiste a peça "Stand Up Drama" e decide imediatamente voltar ao teatro!

Em frente à sua casa existia um armazém, já fechado ha anos...
Tânia aluga o espaço e o transforma num teatro de bolso, com capacidade
para 30 pessoas. Cria palco italiano, coloca campainha e cortina e com ajuda de dois
amigos publicitários, Claudia Bock e Peri Ornellas, este espaço tem nome:
"SANTTAARTE".
Espaço este que está à disposição de colegas para apresentações, ensaios e até palestras!

Maio 2010 – Falece a irmã Catia em maio de 2010.

Junho 2010 - Estréia "Tem Quintana na Casa"uma homenagem do já falecido poeta Mario Quintana, dirigida por Bob Bahlis.
 


Elenco: Tânia Cavalheiro, Alice Comasseto, Bibiana Barbará, Mariana del Pino, Renato Morais, Samuel Reginatto, Marta Lisboa, Yasmin Chiden e Janaína Zorzatto.














Julho 2010 – Fazia dois anos que Tânia escrevia a história de sua avó, Diamantina, uma mulher guerreira, que em 1910 abandonou o marido violento e fugiu numa carreta de bois, levando 8 de seus 11 filhos, de Santa Vitória do Palmar para Rio Grande.

Este texto, "A FUGA",  é escolhido pelo “Edital do Memorial Glênio Peres” e ganha temporada de agosto até dezembro, no Teatro Glênio Peres, ficando assim três meses e meio com sua peça em cartaz.

Tânia escreveu, dirigiu e interpretou o monólogo "A FUGA".
Fez ainda o figurino e a maquiagem.









2010 - Setembro, outubro e novembro: Tânia participa, desta vez como atriz profissional da peça “Há Tempos”, dirigida por Bob Bahlis.

Esta peça é baseada em testos de Fabrício Carpinejar, escritor de quem Tânia é leitora assídua!

                                                    Na foto: Emilio Farias e Tânia

2011- Março: Tânia faz o curso de literatura "OS SETE PECADOS", - organizado pela Escola Perestrika - com Fabrício Carpinejar.

2011 - Tânia tem mais três peças teatrais quase prontas para serem encenadas.

É apaixonada por CINEMA e ANIMAIS.

O DIVISOR DE ÁGUAS...

Em 2009 seu marido teve câncer e ela parou com muitas atividades para ficar com ele,
pois sabiam que era terminal.


Osvaldo faleceu em 15 de dezembro de 2011. Ele era bem mais que um marido!
Seu melhor amigo, seu cúmplice, seu lar emocional.


Então precisou rever valores, analisar necessidades imediatas, descobrir seus próprios gostos e arrumar papelada de uma vida em comum (23 anos de casamento) exigiu muito empenho, força emocional e tirou muitas horas de sono.


Se chorou muito ou pouco ninguém viu: Tânia sempre detestou se expor na tristeza.
No entanto é daquelas pessoas que não se importa de escancarar sua alegria.
A vida segue...

E se RENOVA!

O cinema entrou em sua vida de forma inesperada; nunca havia pensado nisso.
Um mês depois do falecimento de seu marido veio o convite para um workshop de
cinema, logo um convite para participar de um filme e a vida tomou novos rumos.


Agora, início de 2013, Tânia ainda está em reconstrução.

VEM CINEMA POR AÍ...


Em 2013 vai rodar alguns filmes no Rio de Janeiro,
                       dirigida por Carlos Camacho, um jovem e talentoso cineasta!