Tânia: atriz, leal, questionadora, sincera, irônica, exigente, fácil, radical, sensível, dura, intensa, controladora, generosa, egoísta, protetora, desapegada, aberta, ermitã, sensata e aventureira. "Sou todas em Uma" BEM VINDOS!


21 de abr de 2011

EU ACREDITO NO COELHINHO!

Na Páscoa, os cristãos celebram a ressurreição de Cristo.

Entre os judeus, esta data também tem significado importante, porque marca o êxodo deste povo do Egito, por volta de 1250 a.C.

O ovo é o símbolo de vida... E não vou me fazer aquela pergunta boba, sobre quem veio primeiro: acho que foi o galo.

Na antiguidade, era comum encontrar figuras de Ostera, a deusa pagã da primavera, segurando um ovo e olhando para um coelho saltitante. Eis os três símbolos máximos da fertilidade: o coelho, a mulher e o ovo.



O coelho, que se reproduz como coelho, (piadinha infame) é o símbolo máximo da fertilidade!


Tá! Mas: quando começou esse costume de dar ovos na Páscoa?

No período medieval, lá no mediterrâneo, os nobres já se presenteavam com ovos.

Na Ucrânia, centenas de anos antes de era cristã já se trocavam ovos pintados com motivos de natureza – lá eles têm até nome, pêssanka – em celebração à chegada da primavera.

Os chineses e os povos do Mediterrâneo também tinham como hábito dar ovos uns aos outros para comemorar a estação do ano. Para deixá-los coloridos, cozinhavam-nos com beterrabas e outros corantes naturais.

ATÉ QUE UM DIA...

Daí pros reis mais abastados - um querendo mostrar pro outro ter mais poder ou conseguir algum favor - mandarem fazer ovos cravejados de pedras preciosas, foi um passo.

Pra chegar ao que é hoje, ovo de chocolate, foi preciso que os espanhóis descobrissem os maias e os astecas e com eles, o chocolate, o doce dos deuses! Que trabalheira para os culinaristas franceses aprenderem como extrair o néctar da semente do cacau...

Como todas as datas comemorativas, acabou virando comércio e nesta época, todos esperam uma lembrancinha de chocolate.

E os comerciantes fabricam cestinhas recheadas de ovinhos recheados das mais simples às mais caros...
Os dentistas, depois que se virem...
Nunca conheci uma criança que não espere ansiosamente seu “coelhinho”.




Hoje, com meus filhos, homens, já de barba na cara, ainda mantenho o costume de
esconder o ovo pela casa e eles têm que achar.
E não é que se prestam e adoram!?



Entre os anos 1885 e 1017, Peter Carl Fabergé e seus assistentes fizeram, sob encomenda, os “Ovos Fabergé”, verdadeiras obras-primas da joalharia, para os czares da Rússia.
Os ovos, cuidadosamente elaborados com uma combinação de esmalte, metais e pedras preciosas, escondiam surpresas e miniaturas e eram oferecidos na Páscoa entre os membros da família imperial. Disputados por colecionadores em todo o mundo, os famosos ovos de Páscoa criados pelo joalheiro russo são admirados pela perfeição e verdadeiros expoentes da arte joalheira.

Se for pra me presentear, que seja com chocolate meio amargo DIET ou um singelo Fabergé...







Existem algumas pessoas, muito estranhas (MUITO ESTRANHAS!) que não gostam de chocolate...
AMO CHOCOLATE!

Pensando bem... Com a FAMÍLIA e AMIGOS que tenho, algumas dávivas que Deus me dá todos os dias,
nem precisa lembrancinha de Páscoa: só peço que sigas em minha vida!

Pra ti, acreditando ou não na ressurreição, na Páscoa, gostando ou não de chocolate, te desejo

FELIZ PÁSCOA!

2 comentários:

  1. Eu amo chocolate. Acredito em reencarnação e adoro coelhinhos. Acho lindos, fofos, cheios de energia. Ele me fazem sorrir! Assim como pensar em ti também. Obrigada pela aula de história cheia de afeto como sempre.

    ResponderExcluir
  2. Pra tu também, xuxu...!!

    Love,

    Buzz
    .

    ResponderExcluir

Olá!
Por favor sinta-se livre para comentar!